Vida de petroleiro: Com a palavra, MC Renê, da Recap

Por Norian Segatto

Neste dia 16 de fevereiro, Renê Ribeiro completa 32 anos de Petrobrás. Atualmente no SMS da Recap, começou na empresa como auxiliar de segurança, passou para inspetor por concurso interno e, com a terceirização da segurança patrimonial, foi transferido para a Comunicação, área em que sentia podia desenvolver um bom trabalho. “Na época eu também era radialista, sempre tive uma atividade paralela à Petrobrás”, conta Renê, que, já na década de 1990, apresentava na Rádio Nova ABC, o programa “A voz da cidadania”, quando o tema nem era tão popular como atualmente.

Com boa voz, serenidade e rapidez de pensamento, em pouco tempo passou a ser o Mestre de Cerimônia oficial da Refinaria. Mas não parou por aí, com formação em Teologia, se tornou juiz de paz e a celebrar casamentos, abriu uma empresa de eventos e se tornou um respeitável e solicitado Mestre de Cerimônia nos mais diversos eventos. Além de ser o cerimonialista oficial da Recap, passou a atender a Transpetro, a Liquigás e outras empresas. Seu respeitável currículo foi coroado tornando-se o apresentador oficial dos eventos da Presidência da República em São Paulo, durante o governo Lula.

Casamentos, eventos corporativos, eventos governamentais, são atividades que requerem de Renê simpatia, disposição, boa aparência e dose de tranquilidade para resolver imprevistos, que sempre acontecem, ou presenciar cenas inusitadas. “Certa vez”, conta ele, “durante um ato de governo, estava sendo feita uma homenagem a um esportista cabeludo e barbudo. Um dos ministros ali presentes, para tentar brincar, disse ao homenageado: ‘corta esse cabelão, essa barba, isso não é coisa de homem sério’. O presidente Lula estava ao seu lado e quando pegou o microfone disparou: ‘então, na opinião do ministro, eu não sou sério porque uso barba’. Todos riram, menos o tal ministro, claro”.

Em outra ocasião, lembra, durante um casamento, o noivo fez um pedido inusitado: para que trocasse a tradicional frase “promete ser fiel na alegria e na tristeza…”. Intrigado, quis saber o motivo. “Sabe o que é, é que eu sou palmeirense e esse troço de fiel é coisa de corinthiano”, explicou o rapaz. Na hora dos votos, Renê não decepcionou: “promete ser LEAL na alegria e na tristeza…”, perguntou e fez a felicidade do noivo torcedor.

Além de comunicação, o versátil petroleiro de 56 anos, com formação em teologia e que atualmente cursa psicanálise, afirma que o sucesso de seu empreendimento se deve, entre outros motivos, à criatividade que imprime aos eventos. “Durante um casamento, por exemplo”, explica, “não faço apenas o tradicional, eu crio, junto com minha esposa, Sandra, que é escritora, uma poesia personalizada para os noivos, a partir dos fatos da vida que eles me contam”. “Essa e outras inovações fizeram com que minha empresa, a Casamentos Marcantes, recebesse por cinco vezes o prêmio de melhor empresa de casamentos no site em que divulgo”, diz o carismático Renê Ribeiro, como seus colegas se referem a ele.

Quando o assunto é política também não deixa de soltar a voz. Apesar de ser cristão evangélico, não concorda com a posição que certos evangélicos vêm assumindo. “Acho que são assuntos diferentes, a liderança eclesiástica tem que olhar para o lado espiritual e não usar a religião para fins políticos, essa guinada à direita do Brasil não me agrada”.