• Home
  • Unificado
  • Trabalhadores recebem boletim sobre riscos do benzeno

Trabalhadores recebem boletim sobre riscos do benzeno

No Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno, celebrado na quinta, 5 de outubro, diretores do Unificado distribuíram exemplares do boletim especial, produzido pela bancada dos trabalhadores da Comissão Nacional Permanente do Benzeno (CNPBz), na entrada da Recap, em Mauá, e da Replan, em Paulínia. O material alerta, principalmente, para os impactos que a reforma trabalhista trará para a saúde e segurança do trabalhador.
A principal matéria do boletim destaca que a luta contra a exposição ao benzeno passa a ser ainda mais urgente com as mudanças impostas na CLT, por meio da reforma trabalhista. O material aponta ainda os efeitos perversos da política golpista em curso no país, que tem o objetivo de sucatear a Petrobrás para entregá-la ao capital estrangeiro. “Para isso, cortam contratos de manutenção, eliminam postos de trabalho, compram materiais de segunda linha e uma série de outras ações, que ao final impactam diretamente na segurança e na saúde dos trabalhadores”.
O boletim foi entregue aos funcionários próprios e terceirizados. “A prevenção é sempre o melhor a ser feito para que os trabalhadores não adoeçam no ambiente de trabalho”, declarou Auzélio Alves, coordenador da Regional Mauá e integrante da bancada dos trabalhadores na CNPBz.

O símbolo da luta
O Dia Nacional de Luta contra a Exposição ao Benzeno foi criado em homenagem ao técnico de operações Roberto Kappra, da Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão, que faleceu em 5 de outubro de 2004, vítima de leucemia mieloide aguda, doença ligada à exposição ao benzeno. Kappra trabalhou 11 anos na refinaria e morreu aos 36 anos, 22 dias após serem detectados os primeiros sintomas da doença. Na época, a Petrobrás se recusou a reconheceu o nexo causal e a CAT só foi emitida tempos depois. A história de Kappra tornou-se símbolo da luta contra a exposição a essa substância altamente cancerígena.