Trabalhadores do Laboratório não abrem mão do efetivo mínimo

Os trabalhadores do Laboratório da Replan não concordam com a meia-dobra e não abrem mão do efetivo mínimo estabelecido para o setor. Presentes nas setoriais, realizadas na semana passada, na Regional Campinas, eles esperam que a empresa cumpra o número mínimo de quatro trabalhadores em período integral de cada turno e não descartam mobilizações, caso não se chegue a um acordo.

Em atendimento às deliberações dos trabalhadores, a direção do Sindicato enviou mais um ofício à gerência da refinaria para o agendamento de uma nova reunião. “Esperamos que seja marcada uma conversa ainda nesta semana. O pessoal do Laboratório aceita discutir novas distribuições do trabalho. Só não aceita, em hipótese alguma, operar com uma equipe reduzida, o que coloca em risco a segurança do ambiente e do trabalhador”, afirmou o diretor do Unificado Gilberto Soares, o Giba.

Segundo ele, se não houver negociação com a gerência da Replan, serão realizadas assembleias com os trabalhadores para encaminhamento de mobilizações. “Nas setoriais, o pessoal do Laboratório já discutiu e aprovou essa possibilidade”, alertou.