Sem vacilo contra o desmanche

De um lado, uma equipe colocada por um governo ilegítimo, capitaneada por um notório privatista, com um assessor com sólidas raízes na Shell. De outro, milhares de petroleiros e petroleiras, que diariamente constroem esta empresa, mas veem seus empregos, salários e direitos correr risco. Esse é o jogo, Parente e seu grupo vieram para privatizar a Petrobrás, estão vendendo ativos importantes a preço de banana e comungando com o lobby internacional para a mudança no marco regulatório do pré-sal brasileiro.
Não dá ficar quieto diante dessa situação! A categoria está demonstrando que compreende a grave situação da empresa, mas discorda do remédio que está sendo ministrado.
A cúpula da empresa apresenta propostas para diminuir o valor de horas extras, retirar direitos, flexibilizar jornada de trabalho, ao mesmo tempo realiza uma vergonhosa manobra contábil para gerar prejuízo de R$ 16,5 bilhões.
As mobilizações que culminaram nos atrasos do dia 11 mostram uma categoria disposta a ir à luta. E não estamos sozinhos. Milhares de trabalhadores, organizações sindicais de outras categorias, movimentos sociais e populares estão conosco para defender o pré-sal, a Petrobrás e nossas conquistas e direitos. A defesa dos trabalhadores e da empresa se fundem em uma mesma luta.
Parabéns petroleiros, próprios e terceirizados, da ativa e aposentados, companheiros de outras categorias, que participaram das mobilizações da sexta-feira. TEM MAIS LUTA PELA FRENTE!